quinta-feira, 28 de junho de 2012

Alma ou Espírito?



  O uso de algumas palavras do nosso idioma para expressar certas coisas pode ser limitado pela pobreza da nossa linguagem. Muitas das coisas que o homem não conhece ainda ou não entende muito bem sofre com a falta de palavras para designarem o real sentido da coisa.
  Uma das questões que muitas religiões discutem é o sentido da palavra "alma" e da palavra "espírito".
  No espiritismo, segundo as orientações que recebemos dos espíritos de luz, o homem encarnado é constituído de 3 partes:

1º - Alma ou espírito que é o princípio inteligente onde residem o pensamento, a vontade e o senso moral.
2º - O corpo, envoltório material que compõe o espírito em relação com o mundo exterior.
3º - O perispírito ou invólucro fluídico, leve, imponderável, servindo de liame e de intermediário entre o espírito e o corpo.

  De uma forma mais simples podemos dizer que o perispírito é uma interface semi-material que permite à alma (não material) se unir ao corpo (material).
  Nós podemos ver os conceitos acima no livro "O que é Espiritismo" escrito por Allan Kardec, no capítulo 2, nos itens 9, 10 e 14.
  Entendemos então que a união destes três elementos "Alma, Perispírito e Corpo" irão constituir o ser humano propriamente dito.
  Em nota no livro, Kardec nos explica que a palavra "espírito" é usada para demonstrar a individualidade do ser extra-corpóreo (fora do corpo físico) e não mais o princípio inteligente.
  Podemos entender da seguinte forma então segundo Kardec:

1º - A alma é um ser simples;
2º - O espírito é um ser duplo;casca
3º - O homem é um ser triplo;

  Se lhe parece confuso essa explicação, vai ficar mais clara agora.
  A alma, segundo Kardec, é um ser simples, ou seja, o princípio inteligente que é dotado de pensamento, vontade e senso moral.
  O espírito é um ser duplo, ou seja, ele é constituído do conjunto alma + perispírito. Nesse caso, quando desencarnamos e retornamos para o plano espiritual, voltamos a ser o que eramos antes de nascer, ou seja, espírito. Voltamos a ser alma + perispírito.
  O homem então é um ser triplo porque se constitui do conjunto alma + perispírito + corpo físico. A alma se une ao perispírito para poder se unir ao corpo, pois sendo a alma imaterial, ela não poderia se unir diretamente ao corpo físico sem que este fosse constituído do mesmo elemento ou tivesse um elemento de ligação, o qual é o perispírito.
 
  Para que a alma se comunique então com o corpo, ela usa o perispírito como veículo de transmissão das emoções e sensações, assim como o corpo usa o perispírito para se comunicar com a alma. Lembrando que nós enviamos nossos pensamentos e vibrações para as outras pessoas, a alma então tem que enviar via perispírito que transmite-os para o corpo físico e por fim faz uma espécie de filtro grosseiro, antes que a vibração ou pensamento chegue ao seu destinatário (a outra pessoa).
  Enquanto encarnado, então, a alma transmite e sente por meio do corpo, pensa por meio do cérebro, mas quando desencarnada ela o faz por si só.
  O corpo separado do espírito é apenas matéria inerte, o corpo não pensa sozinho.
  Quando entramos em estado de coma ou durante o sono, por exemplo, o espírito se encontra meio liberto do corpo material. Ele pode sair porque o espírito (alma + perispírito) não precisa descansar, somente o corpo precisa se recuperar materialmente. Nesse estado, o espírito não está 100% livre, ele possui ainda um laço fluídico, relatado em alguns livros espíritas por "fio de prata", que o mantém conectado ao corpo e que ao menor sinal de necessidade trará de volta o espírito para dentro do corpo.

  É por isso que podemos encontrar entes queridos que já se foram, ou pessoas que estão a quilômetros de distância de nós durante o sono, ou até mesmo médiuns podem relatar ter conversado com pessoas que estão em estado de coma.

  O real nome que usamos para indicar este ser inteligente que habita nossos corpos não é tão importante, o mais importante para todos é o entendimento da existência destas 3 partes que constituem o homem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário