quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

O Silêncio que nos esclarece


  Em meio aos conflitos da vida, nos encontramos exaustos por tanto nos debatermos em desespero por tentarmos resolver situações que nos parecem intermináveis e não solucionáveis.

  Tanto esforço para nada, tanta energia gasta sem resultado algum, a tristeza bate e vem o desânimo total, o espírito é acometido da sensação do fracasso e o mundo parece conspirar contra você.

  Está feliz agora? Adiantou se deixar ser tomado por todo esse sentimento de vítima da vida? Resolveu a situação?

  Não, não é mesmo? Então é hora de reagir, de encontrar a solução para o seu problema.

  Mas você tentou, tentou e não conseguiu, por que?

  Porque ainda não é a hora certa. As vezes temos que nos silenciar por dentro e por fora, observar com calma, atentar aos detalhes de tudo que ocorreu e encontrar pacientemente a chave para o problema.

  No auge do desespero somente fazemos o que é errado, pois agimos inconsequentemente, buscamos por soluções imediatistas quando na verdade tudo o que Deus quer é que tenhamos paciência.

  A prática do silêncio nos momentos de grande euforia nos traz de volta a calmaria que nos dá condições de refletir e pacientemente exercitar a análise da situação.

  A meditação é uma das práticas que nos ensina isso. Quantas não são as respostas que obtemos durante a meditação? Respostas essas que por mais que tentemos encontrar no dia a dia, não conseguimos, mas quando nos silenciamos e refletimos, ela salta a mente.

  Muitos sabem falar, poucos sabem ouvir e é no silêncio que ouvimos a alma, a consciência, a voz de Deus.


Nenhum comentário:

Postar um comentário