segunda-feira, 27 de maio de 2013

Sorriso, a chave de muitas portas na vida =)



  A muito tempo venho desejando falar sobre ele, um companheiro essencial de minha vida, alguém a quem devo total respeito e admiração, porque posso realmente afirmar, ele mudou tudo para melhor, ele abriu uma avenida de opções, ele me pôs na frente dos problemas e me trouxe paz. Seu nome, simples e singelo, sincero e meigo, o “sorriso”.

  Muito trabalho tive para descobri-lo. Ele insistia em se esconder de mim. Procurei por diversos lugares, diversas foram também as vezes, mas não me cansei, tão pouco desisti. Em cada rosto que olhava eu o procurava, seja ele negro, branco, masculino, feminino, jovem ou idoso entre tantas diferenças de nossa espécie, eu queria ver o “sorriso”.

  Entendi que encontrá-lo era mais difícil do que eu poderia imaginar e busquei na meditação, um momento de paz para me questionar: como encontrar o “sorriso”?

  De repente um estalo surgiu, pensei comigo mesmo na possibilidade de provocá-lo, talvez assim ele surgisse diante de meus olhos, talvez assim eu o pudesse apreciar.

  Às ruas então eu fui novamente. Primeiro tentei com uma piada, notei que uns de mim riam, mas outros eram indiferentes, permaneciam sem reação, caras fechadas, olhos tristes, nariz torcido... Bom, o primeiro resultado veio e isso me deixou mais esperançoso, consegui alguns sorrisos e como me senti bem!

  Era hora de pensar mais um pouco, deveria haver uma maneira mais fácil de obter sorrisos das pessoas, algo que as deixasse em estado de alegria. Resolvi então presentear os amigos. Fui às compras e iniciei uma maratona de entra e sai de lojas. Puxa, como era difícil comprar presentes para os amigos, ainda mais porque cada um gosta de uma coisa diferente e cada um tem muitos ou poucos bens, o que poderia facilitar ou dificultar nas escolhas. Lembrando que era uma alternativa cara, mas eu tinha que tentar.

  Compras feitas, hora de entregar os presentes e ver os resultados!

  Alguns amigos despertaram sorrisos lindos, mas outros agiram com indiferença e largaram ao relento um sorriso amarelo, não sei se o presente não lhes agradou muito, ou se eles estavam constrangidos e se sentiram na condição de, por obrigação, terem que retribuir o presente. Bom, o fato é que mais alguns sorrisos surgiram e isso me motivou a prosseguir.

  Já usei de piadas, já tentei os presentes, o que mais poderia fazer? Deus é tão bom que me deu uma bela inspiração: sorria para todos!

  De volta às ruas, estampei um largo sorriso no rosto e com que boa vontade eu estava em doá-lo à pessoas que eu nem conhecia. Fantástico, o resultado não poderia ter sido melhor, pois raros foram os que não me devolveram um sorriso. É isso, eu então compreendi!

  Não bastava contar piadas, tão pouco comprar belos presentes, pois o que fazia as pessoas sorrirem com sinceridade era o ato de para elas sorrir. Que lição maravilhosa.

  Às vezes nos esquecemos que é tão simples cativar um sorriso e reclamamos que a vida é muito triste, que as pessoas são muito frias, que o céu, é para nós, sempre acinzentado. Não é a vida que falhou, nem as pessoas e nem o céu que não ficou belo, pois a beleza vem da alegria de se viver e somente recebe quem doa. Quem sorri de coração, cativa sorrisos nos que vivem ao seu redor, amplia relações de amizade e amor, vivencia momentos únicos e inexplicáveis.

  O sorriso é um abridor mor de portas, por meio dele a vida se descortina e encontramos quem tanto procuramos. Por isso damos tanto valor às amizades, aos relacionamentos íntimos, pois é neles que geralmente surgem os melhores sorrisos.

  O brilho existente no sorriso de cada pessoa é único e intransferível. Há pessoas que não precisam nem se esforçar para sorrir, suas faces transmitem a boa vibração de suas almas bondosas e seus sorrisos são apenas o reflexo de suas luzes interiores.

  Tão nobre é o ato de sorrir que nos eleva ao patamar de pessoa benquista. Rodas e grupos sociais se formam e a presença daquela pessoa sorridente é sempre requisitada. Já viu como uns são sempre chamados para festas, churrascos, encontros familiares enquanto outros, se não se oferecerem, nem saem de casa? Pois é, se a companhia é deprimente, ninguém a irá desejar, mas se ela é alegre e sorridente, hum... nesse caso sua presença é exigida!

  Já tentou começar o seu dia sorrindo? Sorria para a planta, sorria para o pássaro, sorria para os familiares, sorria para os amigos, sorria para os conhecidos e até para os desconhecidos. Ao fazer isso você notará que muita coisa irá mudar para você, seja na sua vida profissional, seja na sua vida particular. O ambiente se tornará mais leve, agradável à convivência social e iluminado como se o sol ali habitasse 24 horas por dia.

  Desde que descobri o sorriso, já não mais quero me separar dele. Aceitei-o como meta diária na minha vida, onde tenho que sorrir todos os dias, tenho que buscar ver o que há de alegre e feliz para gerar um sorriso o mais sincero possível.

  Sorria porque você quer ver sorrisos, sorria porque você quer ver tudo melhorar, sorria simplesmente porque você quer sorrir...

2 comentários:

  1. O seu texto me lembrou um interessante e hilário momento da minha vida. Eu e minha amiga somos voluntárias de uma instituição e, eventualmente acontecem reuniões, treinamentos, ou apenas confraternizações entre os membros da entidade para manter o vínculo, estreitar os laços... Numa dessas reuniões, apesar de num domingo com esfuziante sol convidando ao sorriso, parecia q só eu e minha amiga estávamos animadas. Aliás, devo dizer, que sempre estamos animadas. Enfim... Eis que um colega coloca uma animação no datashow, que embora falasse de temas até tristes, como o abandono, a solidão, a pobreza o autor fez a história com muito bom humor e nós 2 íamos às lágrimas de tanto rir. Bom, a certa altura percebemos que só se escutava o som de nossas gargalhadas e que alguns colegas estavam numa seriedade como se estivessem na missa, outros, além de sérios, pareciam incomodados com nossas risadas, e outros ainda nos olhavam e cochichavam. Meio embaraçadas, voltamos a concentrar-nos no filminho e logo estávamos rindo de novo, meio que esquecidas dos olhares reprovadores. Durante um tempinho ficamos no jogo dos tapinhas em uma e outra, para lembrarmos os olhares em volta, mas, a certa altura a gente decidiu esquecer o povo e entregamo-nos à diversão, pq o filme era realmente engraçado.
    Para mim, quem o fez, pretendia realmente passar a mensagem de que é preciso que aprendamos a rir principalmente de nós mesmos, é preciso aprendermos a não levar a vida tão a sério, ou, em último caso, é preciso aprendermos a sorrir mais. Eu sempre sorrio, cumprimento td mundo, gosto de valorizar as pessoas, pq tb gosto de ser valorizada e gosto de descontrair os ambientes. Mas, claro, tb foi um aprendizado.
    Já fui mt séria, sou de uma época em q se aprendia a ser sério, pq se acreditava q as pessoas de aparência fechada eram mais responsáveis, mais confiáveis. Mas como vc falou em 'A escada da sabedoria e do equilíbrio' é td um aprendizado, n só nesta vida, mas eternamente, ou, pelo menos, até chegarmos â sabedoria dos anjos, de Jesus, de Deus. Quem sabe?

    ResponderExcluir
  2. Ótimo, magnífico, estupendo!

    Uma história para ficar guardada na minha memória e acredito que na de muitos que por aqui passarem.

    É de coração que lhe agradeço por tê-la compartilhado conosco.

    Obrigado pela sua visita Carla!

    ResponderExcluir