terça-feira, 23 de julho de 2013

O que a música e a dança podem nos oferecer


  Não é de hoje que sabemos o quão bem nos faz cantar e dançar. Há quem diga que quem canta os males espanta, então pode-se dizer que quem dança a preguiça também espanta.

  Contra a depressão não existe recurso mais simples e de fácil acesso do que a música, ela está em todos os lugares, nos lares, nos carros, nos rádios, nos cds e dvds. Mas há tipos de músicas adequadas ao auxílio contra a depressão.

  Ouvir uma música agitada irá apenas incentivar a sua revolta, não vai te ajudar na superação dos problemas, pois é preciso estar equilibrado para isso. Músicas calmas como as clássicas, religiosas ou instrumentais são mais recomendadas para esse propósito.

  Não é o caso de julgar o gosto musical das pessoas, mas sim de fazê-las repensar sobre o conteúdo das canções ouvidas. Em nossa cultura temos músicas que abusam das palavras, usam termos ligados ao sexo que irão apenas atrapalhar o nosso equilíbrio e portanto, faz-se necessário descartar tais letras.

  Assim como vibram as notas musicais, assim vibrará o nosso espírito. Tente fazer um teste, quando você estiver irritado ou triste, ouça uma canção calma e alegre e observe o que a ciência já comprovou por meio de vários testes, a boa música acalma a alma.

  Dançar também é um bom hábito que podemos adquirir, pois por meio da dança nós exercitamos o corpo físico e cuidamos de um dos maiores presentes que Deus nos concedeu, a saúde. Na dança há muitas vezes o contato com outras pessoas, o que também pode nos levar ao aprimoramento do convívio social.

  A vida é uma música tocada diariamente e que nos convida a dançar. Saber entrar no rítimo da vida, é o mesmo que saber dançar conforme a música que Deus colocou para nós ouvirmos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário