sexta-feira, 19 de julho de 2013

Veja-me uma dose de amor, por favor!


  O ato de doar amor não é um ato de perda, mas sim de humildade e de generosidade, que leva-nos ao crescimento moral. Quando doamos amor, doamos aquilo que recebemos gratuitamente de Deus para quem sente que pouco ou nada dele tem.

  Não há perdas nesse lindo gesto, pois o amor é eterno e por consequência não acaba e nem se desgasta. Quem recebe fica feliz e logo se vê com a oportunidade de retribuir, doando o mesmo amor a mais pessoas ao seu redor.

  Se você for egoísta e quiser guardar o amor só para si, vai perceber que você não o compreendeu ainda, pois ele é um sentimento que não foi feito para ficar aprisionado na gaiola do coração, ele deve fluir pelas palavras, pelo olhar, pelo abraço para alcançar o mundo todo, o amor nasceu para ser compartilhado.

  Ninguém ganha amor na loteria, nem compra-o no supermercado. A origem do amor vem de uma sementinha plantada em cada coração e esperando a oportunidade de germinar. Mas o que será que a faz germinar?

  O próprio amor é quem faz a semente germinar. Já percebeu que quanto mais amor você compartilha, mais as pessoas ao seu redor ficam felizes? Foi por isso que Jesus ensinou-nos a amar, porque precisávamos desenvolver essa capacidade de disseminar o amor por meio da caridade.

  O primeiro que nos amou foi Deus, foi o Pai quem deu o início à germinação dessas sementinhas e nós somente temos que dar continuidade, amando sempre, incondicionalmente, sem prender ninguém.



Nenhum comentário:

Postar um comentário