sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Quem é o verdadeiro espírita?


  "Se muitos dos chamados ao Espiritismo se extraviaram, por qual sinal se reconhece aqueles que estão no bom caminho?

  Vós os reconhecereis pelos princípios de verdadeira caridade que eles professarão e praticarão; vós os reconhecereis pelo número das aflições às quais eles terão levado consolações; vós os reconhecereis pelo seu amor ao próximo, pela sua abnegação, pelo seu desinteresse pessoal; vós os reconhecereis, enfim, pelo triunfo dos seus princípios, porque Deus quer o triunfo da sua lei; aqueles que seguem suas leis são seus eleitos, e ele lhes dará a vitória, mas esmagará aqueles que falseiam o espírito dessa lei e fazem dela um  meio para satisfazer sua vaidade e sua ambição." (Erasto - em O Evangelho Segundo o Espiritismo - Capítulo XX).

  Assim como em todas as crenças, há os falsos espíritas. Pessoas que vão às casas espíritas, mas que não estão lá de corpo e alma. Pensam na vida, pensam nos problemas, pensam nas férias, mas não pensam em Jesus, nem em Deus, nem no próximo ao lado que pode estar carente de auxílio. E isso não se aplica somente aos que assistem as palestras, mas também aos trabalhadores da casa.

  Reconhece-se o verdadeiro espírita justamente pelas ações dele, pois é caridoso, é atencioso, é dedicado, é amigo, é irmão, é alegre, é seguidor dos exemplos do Cristo.

  Mas, se conhecemos um espírita que não age como deveria, não o julgue, mas oferece-lhe esta reflexão, contida no próprio Evangelho Segundo o Espiritismo. Dá a água que mata a sede, a água que vem de Jesus, para que ele entenda que precisa retomar o caminho, pois só o trabalho dignifica o homem.

  O espírita sem caridade, é como a comida sem o tempero, pode até saciar, mas não tem a essência do sabor que o paladar venha a conquistar. Só a aplicação na semeadura do amor pode nos libertar de tantos males que ainda carregamos em nossos corações. Jesus sempre nos convidou ao trabalho, então vamos, é hora chegada, é oportunidade concedida, não desperdiça-a.

  Se possível, junta o irmão de outra crença também, dá a mão ao evangélico, ao católico, ao budista, etc... unam-se na caridade, façam o amor fluir, quebrem o preconceito e sejam todos irmãos perante Deus.

  A árvore só dá bons frutos, se a árvore for boa. Torna-te então a boa árvore, senão poderás ser ceifado antes mesmo de começar a dar os frutos.

  Espíritas, acolham vossos irmãos com respeito e com amor, orientando à luz da doutrina espírita e do evangelho de Jesus, falando de coração para coração, amenizando os sofrimentos alheios, curando as feridas d'alma e praticando a verdadeira cristandade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário