segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

A repartição da felicidade na Terra.


  Como compreender a repartição da felicidade na Terra se não considerarmos a pluralidade dos mundos?

  Sendo a Terra um mundo ainda de provas e expiações, é certo de que encontramos nela ainda muito sofrimento gerado por cada um de nós.

  O bom senso nos diz que alguma causa anterior a este sofrimento deve existir, pois entendemos que Deus é justo em tudo o que faz e não nos castigaria sem motivos, assim como um pai que ama seu filho não o castiga só porque lhe deu vontade, sendo preciso que a criança faça algo de errado para ser merecedora desse sofrimento.

  Como podemos então sofrer logo que nascemos se nem tempo de errar tivemos?

  Eis ai a maior prova da reencarnação que explica os erros vindos de outras passagens pelo orbe terreno. Com base nesse entendimento, compreendemos que as faltas cometidas anteriormente resultam em expiações na atualidade.

  Enquanto as expiações servem para repararmos o mal que um dia fizemos a outrem, a provação tem um caráter mais nobre ainda, pois é quase sempre uma escolha do espírito antes de encarnar, escolha essa que lhe permite se depurar, tirar as imperfeições que ele sabe que ainda possui e por isso, em grande parte das provações, não ocorrem lamentações.

  É certo de que todos podemos ser felizes se todos nos esforçarmos em amar incondicionalmente, porém devemos compreender que a dificuldade atual em sermos felizes consiste justamente no fato de que ainda somos muito imperfeitos. Não desanimemos quanto a isso, mas elevemos os pensamentos ao Altíssimo e confiemos na sabedoria que Ele demonstra ter em cada oportunidade de melhoria que vivemos.

  Cedo ou tarde iremos aprender a amar, pararemos de fazer manhas e birras, deixaremos de ser crianças mimadas e ainda incapazes de compreender que o Pai sabe mais do que nós, que Ele compreende as nossas necessidades e que Ele somente deseja o nosso bem.

  Se houvesse apenas uma única oportunidade de vivermos na Terra, pobre de nós, pois seríamos condenados eternamente logo pela primeira falta cometida, sem termos a chance de repararmos o mal, sem que nosso arrependimento tivesse algum valor. Você pode até dizer que se matar um homem, você pode se arrepender, se converter e ser salvo como é o que dizem algumas religiões, mas se você acredita que existe só uma oportunidade de viver aqui na Terra, pergunto-lhe para vossa reflexão: Que será feito daquele que você matou, que pode nada ter feito para merecer perder a única oportunidade de viver aqui? Será mesmo que Deus seria tão injusto a ponto de não deixar aquela vítima de uma fatalidade terminar suas tarefas aqui, ou será que Deus pode e tem esse poder de nos conceder uma nova oportunidade de repararmos nossas faltas e nos tornarmos pessoas melhores a cada dia por meio das reencarnações sucessivas?

  Reflitamos com o amor em nossos corações!

Nenhum comentário:

Postar um comentário